Revista Cereus

A Rev. Cereus, uma publicação eletrônica vinculada à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação do Centro Universitário UnirG, Gurupi (TO), destina-se à divulgação de trabalhos científicos das áreas classificadas pela Capes como Ciências exatas e da terra, Saúde coletiva (epidemiologia, saúde pública, medicina preventiva) Ciências sociais aplicadas, Ciências humanas, Linguística, Letras e artes, mas abre espaço para submissões de outras áreas desde que os respectivos conteúdos guardem correspondência com o projeto da revista.

Editorial
INTERDISCIPLINARIDADE, EDUCAÇÃO E PRÁTICA DOCENTE
Erica Eugênio Gontijo, João Bartholomeu Neto

Representantes da UnirG participam da construção de Determinantes Sociais em Saúde da Região Norte

O Centro Universitário UnirG está participando da construção de Determinantes Sociais em Saúde da Região Norte do Brasil (DSS). A Instituição participa do projeto a convite da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ligada a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Governo do Estado. Os professores da UnirG estão contribuindo com dados sobre características, problemas sociais e de saúde dos municípios que compões a região sul do Tocantins.

 

De acordo com o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da UnirG, Dr. Marcos Gontijo, os DSS partem de um novo entendimento de como as doenças se distribuem na população. “Mundialmente existe uma nova compreensão de que o adoecimento das pessoas está ligado a fatores sociais, como: condições de vida, moradia, renda, gênero, cor, presença ou ausência de políticas públicas, entre outros, ou seja, vai além de fatores biológicos. Por isso, ao invés de somente tratar os doentes, o objetivo da OPAS/OMS e Fiocruz é descobrir os determinantes sociais que possam estar contribuindo para a presença da doença na população, para poder agir de forma específica na prevenção das doenças”, explica Gontijo. 1Propesq logoOs professores da UnirG irão contribuir com dados obtidos em pesquisas já realizadas e a partir das suas experiências de vida. As informações serão encaminhadas para o Núcleo de Articulação Estratégica de Vigilância do Estado, que irá representar o Tocantins no Seminário Internacional de Determinantes Sociais em Saúde, no mês de agosto. Na ocasião serão apresentadas propostas de criação de indicadores que correspondam às necessidades reais da região.

“Ainda não temos conhecimento dos determinantes locais e regionais para subsidiar políticas e estratégias para a prevenção e o tratamento das doenças. Esse é um trabalho de grande importância, pois esses dados técnicos serão uma ferramenta para que os gestores tomem decisões sobre políticas e ações no campo da saúde”, frisou o Pró-reitor, Dr. Marcos Gontijo.1 Prof Nelita BessaSegundo a Drª Nelita Bessa, que também compõe a equipe de professores da UnirG participantes do projeto, essa é uma cooperação importante, de longa duração, firmada entre a Fiocruz/OPAS e governo do Estado. “Nós, da UnirG, poderemos vislumbrar ações concretas por meio dessa parceria, especialmente pelo nosso foco de atuação, seja na saúde comunitária ou em áreas afins, como a educação”, destacou.

Ainda de acordo com Bessa, existe a intenção de que seja criado um observatório em DSS no Tocantins, o que também possibilita a maior disseminação do conhecimento e de experiências sobre o assunto, com retorno da universidade para sociedade. “Um observatório é feito de construção coletiva, participativa e de consulta aberta a sociedade em geral”, complementa a professora.1 FiocruzDia 22 de junho ocorrerá uma reunião em Palmas, organizada pelo Núcleo de Articulação Estratégica de Vigilância do Estado, para consolidar as informações colhidas sobre os determinantes sociais pelas IES do estado.

A Universidade Federal do Tocantins (UFT), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) e Instituto Tocantinense Presidente Antonio Carlos (ITPAC) também participam do projeto.

DSS

1OMS

De acordo com a OMS, os determinantes sociais da saúde estão relacionados às condições em que uma pessoa vive e trabalha. Também podem ser considerados os fatores sociais, econômicos, culturais, étnicos/raciais, psicológicos e comportamentais que influenciam a ocorrência de problemas de saúde e fatores de risco à população, tais como moradia, alimentação, escolaridade, renda e emprego.

1OPAS

Estudos sobre determinantes sociais apontam que há distintas abordagens possíveis. Além disso, que há uma variação quanto à compreensão sobre os mecanismos que acarretam em iniquidades de saúde.

Por isso, os determinantes sociais não podem ser avaliados somente pelas doenças geradas, pois vão além, influenciando todas as dimensões do processo de saúde das populações, tanto do ponto de vista do indivíduo, quanto da coletividade na qual ele se insere*.

*Com informações da OPAS/OMS (http://pensesus.fiocruz.br)